quarta-feira, abril 06, 2011

A maior antena do mundo.




O radiotelescópio de Arecibo está localizado no município que tem o mesmo nome em Porto Rico.

Foi inaugurado no dia 11 de novembro de 1963. Sua localização estava condicionada ao quequeria se fazer. Trata-se de um laboratório para estudar a ionosfera mediante radar. Já que seria construída a maior antena do mundo, era interessante não usá-la apenas para os estudos ionosféricos; também  poder-se-ia  estudar os planetas, através do rebatimento dos sinais de radar. Como é uma antena fixa, isso exigia que a sua localização fosse quase equatorial, pois caso contrário os planetas estariam fora da visibilidade da equipe. (A Ilha de Porto Rico está a pouco mais de 18º do equador).

Para que a construção fosse possível foi necessário  encontrar uma depressão natural relativamente grande, e com uma geometria tal que facilitasse a construção. Uma zona cáustica, com rochas de calcário, oferecia as maiores possibilidades de encontrá-la. No município de Arecibo, havia montanhas de calcário. Buscando, se encontrou um vale apropriado para construir a enorme antena de 305 metros de diâmetro.

E se construiu.

Ao se chegar mais próximo do observatório, as equipes ficam mais ou menos no foco da parábola. Ali ficam os reatores do radar e os receptores de microondas. Eles são grandes. Muito grande.
Quando nos aproximamos do local nos deparamos com as colunas de concreto enormes e os cabos que seguram a estrutura. Eles também são impressionantes.
Porém, já na antena, quando chegamos ficamos desapontados. Ela é grande, mas não parece.
A sensação de grandeza é talvez mais intelectual do que intuitiva, ao se ver uma pinta pequena, caminhando na antena e se perceber que aquilo é uma pessoa a sua dimensão é notada. Mas insisto na idéia de que a antena não é notada é apenas uma sensação intuitiva.
Quando lemos os dados da construção, nos damos conta do que realmente é: a cúpula tem 305 m de diâmetro, como já dissemos, com 51 m de profundidade. Para formar a parábola foram utilizados 40 000 painéis de alumínio perfurado, retangulares de 0,92 x 1,82 metros.
A 137 m de altura, contando desde a parte mais baixa da parábola, está suspensa uma plataforma de 900 toneladas de peso. Sua construção se parece a de uma ponte rolante. É sustentada por três torres enormes de concreto armado por meio de 18 cabos de aço.

Em Arecibo existem três grandes áreas de investigações: radioastronomia, planetas e atmosfera. Ultimamente foi incorporado o estudo dos asteróides que passam perto da Terra. Algumas das fotos mais espetaculares foram conseguidas através do radar de Arecibo.

A cada ano uns 200 investigadores realizam ali seus experimentos e muitos estudantes fazem seus trabalhos finais de faculdade ou suas teses de doutorado.

Para o visitante particular o observatório dispõe de um pequeno museu de ciência, muito bem feito e muito pedagógico.

Foi lá que me dei conta de um feito que todos sabemos, mas que não se interioriza facilmente: no maior radiotelescópio do mundo se fala espanhol.

Entre os grandes descobrimentos feitos em Arecibo se destacam: detalhados mapas da Lua, Vênus, Marte, Mercúrio e Saturno.

Vênus merece uma menção aparte. Por estar coberto por nuvens, o radar apresenta uma vantagem importante. Foi em Arecibo onde se descobriu que o período de rotação de Vênus é muito lento. Um dia em Vênus são 243 dias dos nossos. E o mais surpreendente é que gira ao contrário de todos os demais planetas do sistema solar, exceto Urano.

E quanto a Marte, os mapas detalhados, os vales, os mares e as alturas dos vulcões foram conhecidos graças a Arecibo e seu radar.

Outra surpresa foi à rotação de Mercúrio. Antes da precisão que tem o radar de Arecibo se pensava que tinha uma rotação vinculada e que sempre apontava para mesma face do Sol, como ocorre com a Terra e a Lua. Se a rotação tivesse sido ligada este teria que dar uma volta inteira em 88 dias e, porém este dá uma volta em torno de seu próprio eixo em 59 dias. Outra coisa surpreendente é que foi observado que em Mercúrio existe gelo. A imagem que nos transmitiram, pelo menos para mim, é que em todos lugares parecidos com um forno queimado seria incompatível com o gelo; porém foi provado que há gelo no fundo das crateras equatoriais.

Outro tema interessante ultimamente é o de poder fotografar através do radar os asteróides que passam perto da Terra. Como exemplo o asteróide 1999 JM8, cujas fotografias de radar, reproduzo aqui:
Como último ponto quero salientar que através da antena de Arecibo, trabalhando como radiotelescópio, se recebem sinais do espaço que logo foram analisados para verificar se são inteligentes. Existem vários projetos que os pesquisam como: SET, PHOENIX y SETI@home, mas deste assunto falaremos em outra ocasião.

Nenhum comentário: